O bag-in-box – ou BiB – é um tipo de embalagem para armazenar e transportar líquidos, consistindo de uma bolsa plástica resistente (geralmente feita de várias camadas de filme metalizado ou outro plástico) na parte interna e uma caixa de papelão ondulado na parte externa. Esse sistema foi inventado por William R. Scholle em 1955, sendo colocado no Hall da Fama das Embalagens por sua invenção.

A primeira versão dessa embalagem para vinho (baseada no sistema criado em 1955) foi patenteada em 1965, pela vinícola Renmark da Austrália, sendo criada pelo enólogo Thomas Angove. Essa embalagem chamada ‘Wine Cask’ consistia de uma bolsa de polietileno com 4,5 litros de capacidade, colocada em caixa de papelão e vendida ao consumidor, que deveria cortar a ponta da bolsa plástica e servir o vinho e, posteriormente, fechar a bolsa com um tipo de grampo especialmente feito para esse propósito.

Em 1967 o inventor australiano Charles Malpas e a vinícola Penfolds patentearam uma tampa plástica hermética ligada à uma bolsa de plástico metalizado, tornando a armazenagem e o serviço mais convenientes. Atualmente todos os BiB para vinhos utilizam algum tipo de tampa plástica hermética, geralmente exposta através de um painel perfurado na caixa de papelão.

Vinho bag-in-box | Foto: reprodução / Decanter Magazine

A maior parte dos vinhos comercializados neste tipo de embalagem é simples, mas existem no mundo vinhos premium comercializados em BiBs.

O sistema bag-in-box oferece algumas vantagens e algumas desvantagens em relação ao envase tradicional em garrafas de vidro. A primeira das vantagens é que os BiBs são mais baratos, leves e causam menor impacto ambiental geral (menor pegada ecológica). Também tem menor risco de oxidação pois o vinho é removido da embalagem de forma hermética, não permitindo que o oxigênio entre em contato com o vinho. Em uma comparação com vinhos envasados em garrafas de vidro que tendem a apresentar sinais de oxidação alguns dias após sua abertura, os BiB costumam preservar o vinho por 3 a 4 semanas após sua abertura e primeiro serviço. Além disso os vinhos em BiB não deveriam estar sujeitos ao defeito ‘bouchonée’, tipicamente relacionado às rolhas utilizadas para vedar as garrafas de vidro.

Em contrapartida esse sistema não permite o envelhecimento de vinhos com esse potencial, começando a apresentar sinais de oxidação em aproximadamente 12 meses após seu envase.

Em resumo o sistema bag-in-box é uma ótima alternativa para vinhos de consumo rápido e frequente (pessoas que tomam vinho todos os dias ou serviço em taças em restaurantes, por exemplo), sendo mais econômicos e ecológicos. Os vinhos envasados em BiBs devem ser armazenados em local fresco e seco, longe de fontes de calor para evitar a perda de qualidade dos vinhos.


VEJA TAMBÉM:


GOSTOU? Para novidades diárias, siga-nos também no Instagram e inscreva-se em nosso canal no Youtube, em nosso Podcast (também disponível no Spotify e iTunes) e em nossa rádio no Spotify.